Câncer de mama infantil passa de mil casos em 2018, no Brasil

 

Além de atingir mais de 50 mil pessoas no Brasil, o câncer de mama também se manifesta em crianças. Só este ano foram 411 casos da doença. Foto: Pixabay

 

Quando falamos de câncer de mama, pensamos diretamente em pessoas mais velhas ou já debilitadas por outras doenças. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), somente no Brasil foram contabilizados aproximadamente 60 mil novos casos da doença, em 2018. Mas um grupo de pessoas em específico chama atenção por causa da idade. 

 

O câncer de mama infantil atingiu, em 2015, o número de 1.361 casos, em crianças de 0 a 9 anos, de acordo com dados colhidos no DataSUS. Neste ano, até o mês de junho, já foram relatados 411 casos da doença. 

 

*Dados coletados até junho de 2019 / ** Dados retirados do datasus

 

Entre os tipos de tumores mais recorrentes em crianças, o primeiro lugar fica com a leucemia (26%), seguido de câncer epitelial (14%), linfomas (14%) e câncer no sistema nervoso central (13%). Além disso, no Brasil os óbitos entre crianças e adolescentes por câncer correspondem ao segundo maior índice, perdendo apenas para a prematuridade. Em 2015, foram registradas 2.704 mortes por câncer infatojuvenil no país, correspondendo a 7,9% dentre todas as causas de óbitos infantis.

 

O câncer de mama corresponde de 1 a 4% de todos os tumores malignos que afetam os mais jovens, segundo números divulgados pelo Inca.

 

A oncologista Ana Carolina Marcondes Machado revela que, apesar da raridade, os tumores tendem a ser mais agressivos e normalmente são derivados pela genética. “Cerca de 10 a 12% de todos os casos de câncer de mama são genéticos ou hereditários. Para as pacientes com idade abaixo dos 25 anos, essa estatística quase dobra, chegando a 20%, mas ainda não é a maior causa dos cânceres nessa idade”, afirma a profissional.

 

Como surge o câncer

 

Os fatores que causam esta enfermidade nas crianças vem sendo uma das principais preocupações de pais. A doença surge em tecidos epiteliais, denominados carcinomas. As células cancerígenas dividem-se rapidamente e são muito agressivas, formando tumores que podem se espalhar para outras regiões do corpo.

Foto: Inca

 

Em relação aos tipos de tratamentos, seguem algumas definições:

 

Quimioterapia: Utiliza medicamento para destruir as células doentes que formam um tumor. Esses medicamentos se misturam com o sangue e são levados a todas as partes do corpo, destruindo as células doentes que estão formando o tumor e impedindo que elas se espalhem pelo corpo. (Fonte: Inca)

 

Radioterapia: Tratamento no qual se utilizam radiações ionizantes para destruir um tumor ou impedir que suas células aumentem. Estas radiações não são vistas e durante a aplicação o paciente não sente nada. (Fonte: Inca)

 

Medicamentos: Entre os mais usados está o modulador estrogênico. Ele pode imitar o efeito do estrogênio em vários tecidos, incluindo os da mama. (Fonte: Inca)

 

O infográfico a seguir traz os principais tipos de câncer que atingem crianças. O QR Code revela um caso real.

 

 

 

Você pode ler mais sobre este tema, clicando aqui.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Radioweb Uninter
00:00 / 00:00

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade