top of page

Um chute para o futuro

Projeto social dá oportunidades por meio do futebol



Em um pequeno município do interior do Rio Grande do Sul, onde o esporte parece esquecido pelos seus administradores, uma equipe denominada Comissão Esportiva Independente, existente desde 2013, dá os primeiros passos com uma escolinha de futebol gratuita para crianças e adolescentes.


No município de Santana da Boa Vista, que fica a aproximadamente 290 km da capital do estado, Porto Alegre, no começo do ano de 2020, o grupo fundou a Academia de atletas Fábio Domingues Herbstrith. O nome é uma homenagem a um jovem apaixonado e engajado com o esporte do município, que fazia parte da comissão e perdeu a vida precocemente com problemas cardíacos, em 2018.


Em decorrência da pandemia de Coronavírus a academia teve suas atividades suspensas por um ano e meio, voltando em outubro de 2021. O projeto que tem o lema ‘um chute para o futuro – revelando talentos e construindo cidadãos’, já abrange mais de cinquenta jovens, meninos e meninas de 5 a 16 anos de idade e tem atividades uma vez por semana.


Jackson Richter, vice-presidente da Comissão Esportiva Independente e o principal organizador da academia de atletas, diz que ainda existe o interesse de mais crianças entrarem no projeto. “Nesse ritmo, chegaremos a 100 crianças rápido e precisaremos de mais espaço”. O projeto atualmente acontece em um campo de futebol cedido pelo sindicato de servidores públicos municipais, mas que não suporta maior número de atletas que o atual. Na assinatura da ficha de inscrição dos alunos, os pais ou responsáveis se comprometem a manter os jovens matriculados em suas escolas e, quando solicitado, encaminhar boletim escolar atualizado para a direção da academia. “Não é simplesmente futebol, aqui eles têm que ter disciplina” completa Jackson.


Os valores arrecadados com patrocínios de empresas locais, são apenas para aquisição e manutenção dos materiais esportivos usados, por isso, o apoio dos voluntários é fundamental. “Se não estivessem aqui agora, estariam mexendo no celular em casa. Eles merecem essa oportunidade” diz José Leodenir, conhecido como Anapion, que vem da cidade vizinha a 60 km de distância, voluntariamente todas as semanas para ajudar no projeto, destacando que o esporte é fundamental para a juventude.


O empresário Joel Dutra é pai de um menino inscrito na academia e destaca a importância do projeto na cidade. “Mesmo que não saia daqui nenhum jogador profissional, já é muito importante para a socialização das crianças”. A procura dos pais pelo projeto acontece por falta de outras atividades para jovens na cidade, alida à preocupação de que a geração atual fique ‘presa’ aos aparelhos eletrônicos. Além disso “o incentivo ao esporte é importante para a formação pessoal e profissional de nossa juventude” finaliza Joel.


O futuro dessa geração também é a preocupação da Comissão Esportiva Independente, que acredita que mantendo esses jovens no projeto os afasta das drogas e do mundo criminoso, com a esperança de formar ali grandes cidadãos.


Matéria produzida por Thiago Dias para a editoria Esportes do projeto Marco Zero - Edição 71.

41 visualizações

Kommentare


bottom of page