Entrevista com Ramón Salaverría fecha temporada de podcasts do Apura Verdade



O último programa de 2021 do Projeto Apura Verdade entrevistou o pesquisador e professor Ramón Salaverría. Ele é diretor do Center for Internet Studies and Digital Life at School of Communication da Universidade de Navarra, na Espanha e Coordenador do Iberian Media Research and Fact-Checking, observatório que atua no enfrentamento da desinformação na Espanha e Portugal.


Estavam presentes as coordenadores do projeto, professora Karine Vieira, do Centro Universitário Internacional- Uninter e a professora Mônica Fort, também da Uninter e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná- PPGCom/UTP. Também participou do programa o professor Ivan Bonfim do Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).


Para Salaverría, as causas do fenômeno atual de desinformação são múltiplos, mas é possível apontar algumas características que separam o contexto atual de épocas anteriores da história. "Nesses últimos 20 anos desde a popularização da internet e as redes sociais, particularmente, nós temos um contexto muito mais complexo e muito mais propício para amplificar a difusão de conteúdos desinformativos", afirma o professor. "As causas são basicamente as mesmas que existiam no século 20, mas os processos e as tecnologias de difusão de desinformação agora são muito mais efetivas".


O professor Salaverría defende que a forma mais comum de combate às desinformações tem sido as agências de fact-checking. "As plataformas de verificação ou fact-checking, o que fazem é, quando algum conteúdo é potencialmente falso elas tratam de, em primeiro lugar, verificar se o conteúdo é falso ou real e depois, caso seja um conteúdo falso, indicar aquilo como falso."


Quando questionado sobre a criação de órgãos de regulamentação para combate a desinformação, o professor questiona sobre como seria a atuação dessas instituições, comparando a órgãos autoritários de obras utópicas e distópicas. "Eu acredito que as instituições, as comissões e as agências que tem uma finalidade de controlar a desinformação deveriam, em geral, não existir, propriamente dito. Pelo contrário, eu acho que devemos promover a transparência. A transparência das instituições, a transparência da mídia, a transparência das plataformas digitais para conhecer exatamente quais são os processos de publicação e difusão dos distintos conteúdos."


Confira o programa completo clicando aqui.


O projeto


O programa Apura Verdade é um projeto do grupo pesquisa 'Novas Práticas em Jornalismo: Inovações no Ensino para o Combate à Desinformação'. Orientado pelas professoras Karine Vieira e Monica Fort, ele traz entrevistas com jornalistas e pesquisadores que trabalham no enfrentamento da desinformação. A finalidade é falar sobre as práticas desenvolvidas nesse processo e entender o contexto do atual trabalho jornalístico.


As edições


O programa está disponível no YouTube, Spotify e você também pode acompanhar pelas redes sociais, no Facebook, Instagram e Twitter.


Crédito da Imagem: Print do programa.






18 visualizações