Agência Pública distribui bolsas para reportagens investigativas


Encerram nesta sexta-feira (18) as inscrições para concorrer a bolsas para produção de reportagens investigativas sobre Alimentação e Mudanças Climáticas. A oportunidade é fruto do programa de microbolsas promovido pela Agência Pública, junto com a Cátedra Josué de Castro da Faculdade de Saúde Pública/USP e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e que já está na sua 14ª edição.


Repórteres de todo o Brasil podem inscrever gratuitamente suas propostas. O objetivo é a distribuição de microbolsas para produção de pautas originais e relevantes sobre o tema proposto nesta edição, estimulando um debate democrático. Além da bolsa no valor de R$ 8 mil para a realização da reportagem, os repórteres selecionados terão acompanhamento de maneira remota pelos editores da Agência Pública.


Para se inscrever, não é necessário ser diplomado, mas é preciso comprovar experiência na produção de reportagens de maneira independente. Clique aqui para enviar seu projeto.


O tema abordado nesta edição provoca o olhar para um cenário que tem sido motivo de apreensão e alerta por entidades nacionais e internacionais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) publicaram no final de 2019 um documento, indicando que os sistemas alimentares são responsáveis por entre 20% e 35% das emissões de gases do efeito estufa.


No Brasil, de acordo com a Análise das Emissões Brasileiras de Gases de Efeito Estufa e suas implicações para metas do Brasil realizada pelo Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa (SEEG) e o Observatório do Clima (OC), as mudanças do uso da terra para agricultura somaram 44% do total de emissões domésticas de gases de efeito estufa em 2019. A análise aponta a queimada da Amazônia e do Cerrado como principais causas desse número.


Imagem: Agência Pública.

14 visualizações