Encantadora de Baleias


(Crédito: Pixabay)

O drama acontece em uma modesta vila na costa leste da Nova Zelândia, onde se discute a continuidade de uma cultura, ritos e costumes. No filme, o povo ancestral, chamado de maori, vê-se obrigado a deixar sua tradição patriarcal. A lenda dos maori conta que um semideus ancestral de nome Paikea chegou ali montado numa baleia. A partir de então todo o primogênito de cada geração da linhagem ligada diretamente a ele torna-se o líder da aldeia dos whangara.

Nasce então a filha do líder, a menina Pai, sobrevivente de um parto complicado, que terminou na morte do seu irmão gêmeo e de sua mãe. O pai da menina sai da cidade, deixando-a sob os cuidados do avô, Koro, o atual chefe da tribo. Mesmo descontente pelo rompimento do legado, o avô cuida da neta, porém mantém uma distância, pois sua missão era preparar o seu sucessor, mas Pai não é o homem que era aguardado.

Quando completa 11 anos, Pai tenta mostrar ao seu avô que pode assumir o papel que seria do seu pai ou de seu irmão. Enquanto isso, Koro busca o sucessor nos treinos de meninos locais. Pai decide estudar, analisando as aulas do avô. Ela pede ajuda de seu tio para aprender danças, rituais e, também, a lutar com Taiaha (bastão de guerra típico dos povos). Esses estudos eram proibidos para as mulheres, mas Pai persiste.

O avô Koro leva os meninos para o mar e os coloca em prova: ao jogar o seu colar de dente de baleia no mar pede para que os meninos da vila o busquem, mas nenhum o encontra. Quem achou o colar foi Pai, que manteve a descoberta em segredo para que Koro não descobrisse que foi ela quem o encontrou.

Toda vez que Pai ficava triste, entrava no barco que seu pai não havia terminado de construir e fazia um ritual. Nesse momento, várias baleias, aquelas que ajudaram a fundar a tribo, foram chamadas.

Pai preparou um discurso para o seu avô para apresentá-lo no concerto da escola, onde ele acabou não indo, pois havia percebido algo de estranho. As baleias estavam na areia da praia e o avô queria saber de quem era a culpa por elas estarem ali. Então, o avô chamou todos moradores para ajudar os animais a voltar para o mar, mas não houve sucesso. Foi então que Pai se aproximou de uma delas e foi levada para o mar. Todos ficaram preocupados com o desaparecimento de Pai, mas ela é encontrada viva e, no final, acaba se tornando a líder, estabelecendo uma nova ordem para o povo.

A história explora o amadurecimento de Pai e seu relacionamento com Koro que, mesmo aparentando ser uma pessoa presa às suas crenças, transmite todo seu amor pela neta.

Direção: Niki Caro - Produção: John Barnett, Tim Sanders, Frank Hubner​

Data de lançamento: 2004

Gênero: Drama

Produção: Nova Zelândia e Alemanha.

Texto: Bruno Godoy, editado por Eloisa Beling Loose e Eugenio Vinci.

22 visualizações

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade