Reitor da Uninter fala de ensino a distância em jornalismo



Mesmo antes da pandemia do novo coronavírus chegar impondo a todos o isolamento social e aulas remotas aos estudantes e professores, o modelo de ensino a distância já era uma realidade para muitos. Como mostra o Censo da Educação Superior de 2018, divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), houve um aumento de 50% nas matrículas em cursos remotos entre os anos de 2017 e 2018.


Contudo, a expansão dessa modalidade vem sendo adotada por várias instituições de ensino superior como alternativa ao presencial - inclusive em cursos tradicionais como é o caso de jornalismo. Esta questão foi tema de debate da terceira mesa do 19° Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, transmitido na tarde de ontem (05).


O encontro promovido pela Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (Abej), contou com a participação do professor e reitor do Centro Universitário Uninter, Benhur Gaio, e da professora Katia Morosov Alonso da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Gaio falou de questões relativas ao mercado do ensino superior no Brasil, as tendências e os resultados financeiros e acadêmicos, estrutura e organização para o funcionamento da EAD.


Sobre o curso de Jornalismo na modalidade a distância, o reitor apontou que um dos desafios iniciais foi referente à questão das atividades práticas. "Nós desenvolvemos inclusive um modelo de laboratório portátil individual para encaminharmos aos alunos. Dentro de um conceito de que neste laboratório portátil, os alunos, cada um deles, poderiam ter o desenvolvimento das suas competências práticas em qualquer ambiente", contou ele.


Para ele, o curso de jornalismo a distância condiz com a realidade do mercado. "Este profissional jornalista, ele é, essencialmente, um profissional que atua a distância. Nós temos aí obviamente a televisão, rádio, etc. que nos trazem situações de jornalistas no dia a dia, mas o jornalista, a essência do trabalho do jornalista, é trabalhar a distância. É ser autônomo. É ter os recursos disponíveis para o exercício da sua profissão onde quer que ele esteja", completou.


O conteúdo completo sobre as mesas de debate do 19° Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, pode ser conferido no canal da Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (Abej) no Youtube.



Créditos da foto: PrintScreen da live.

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade