top of page

Canteiros públicos: adoção de espaços em Taquara

Projeto busca embelezar município com plantios de flores

Lavanderia adotou canteiro da Praça Marechal Deodoro, onde faz plantio de flores


Projeto realizado entre a prefeitura e comerciantes é uma alternativa para embelezamento das ruas do município de Taquara, no Rio Grande do Sul. Iniciado em novembro deste ano, por meio da proposta da vereadora Carmem Fontoura, o projeto de adoção de canteiros municipais vem sendo motivo de muita alegria para os Taquarenses. Camila Bernardes, moradora da cidade, observou as mudanças pelas ruas. “A cidade está mais alegre, com cores e bem cuidada”, lembra.


O cuidado dos espaços é feito por entidades privadas, que por meio de um termo ficam responsáveis por determinados canteiros, em troca deste cuidado, podem instalar uma placa publicitária no local, com o nome da empresa. A Lavanderia H20 é uma das intituições participantes, responsável por um dos canteiros localizado na Praça Marechal Deodoro.


A gerente do estabelecimento, Elizandra Wolf Gabriel, relata que apesar serem responsáveis pelo plantio, contam com o auxílio da prefeitura que disponibiliza um funcionário para exercer o trabalho de regar os canteiros para as empresas. Aos finais de semana, a manutenção é feita pela parceira do projeto. “É uma ótima oportunidade empresarial, conseguimos fazer uma publicidade de forma limpa, atingindo novos públicos”, comenta.


Fabiana Albring Thiel, bióloga da Secretaria do Meio Ambiente de Taquara destaca a importância da iniciativa para a cidade. “Quando alguém se propõe a cuidar de um canteiro, demonstra também sua preocupação com o local em que vive. Por meio desse projeto pode-se alcançar outras conquistas, como destinação adequada de resíduos sólidos urbanos e controle de pragas, pois a população se engaja em prol do coletivo”, ressaltou. A bióloga garante ainda que o processo não é burocrático. Durante um encontro são passadas as instruções sobre o manejo do canteiro e é assinado um contrato de responsabilidade e período mínimo de um ano.


A intenção é que a cidade se mobilize para o embelezamento que a prática de jardinagem proporciona. A ação da coletividade também é importante pois o município tem suas calçadas estreitas, acontecendo um conflito com a arborização e equipamentos urbanos, como fios elétricos e fachadas sem recuo de pátio. A adoção de canteiros permite atingir todos os espaços disponíveis, com floreiras que também tornam-se um ponto turístico e consequentemente podem, impactar os aspectos de desenvolvimento econômico da cidade.


Matéria produzida por Lavínia Hadlich para o projeto Marco Zero - Edição 71.

6 visualizações

댓글


bottom of page