Cai o índice de internações por acidentes em Rondônia

O primeiro semestre de 2020 apresentou queda nas internações em comparação ao mesmo período do ano de 2019


Trânsito da cidade de Rolim de Moura, considerada a sexta cidade mais populosa do Estado de Rondônia. (Créditos: Maycon Pavin)


Muito frequentes e motivo de correria em todo pronto socorro, o número de internações por acidentes de trânsito sinalizam queda no primeiro semestre de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado.


Segundo a base de dados do DataSus, as internações sinalizaram queda de 46,2% entre janeiro e junho de 2020 em comparação ao mesmo período de 2019. Segundo o Departamento Estadual de trânsito do Estado, Detran, Rondônia contabilizava uma frota de 1.015.598 veículos no ano de 2019.


Marcio de Paulo, chefe de gabinete de um dos maiores hospitais públicos de Rondônia - local que mais recebe vítimas de acidentes, o Hospital João Paulo II na capital Porto Velho, atribui essa queda de internações a pandemia do novo coronavírus.


Fonte: DataSus (Créditos: Maycon Pavin)


“Com a chegada do isolamento social muitas pessoas passaram a ficar em casa e os profissionais que dependiam do transporte para trabalhar ou se locomover, não estão mais nas ruas. Fazendo um comparativo com os dados que temos do mês de janeiro do Hospital João Paulo II, atendemos 353 vítimas e, em maio, esse número caiu para 246 pacientes”, comenta o chefe de gabinete.


A baixa nos números, no entanto, não representa um alívio para quem sofre acidente no estado. parte do problema está na incapacidade de prestação de um serviço adequado na região.


A manicure Lucilene Cavalcante, fraturou a tíbia do joelho esquerdo no acidente que sofreu de motocicleta. “Tudo aconteceu no dia cinco de agosto de 2018. Eu e minha filha sofremos essa queda e a moto caiu por cima de mim. A todo momento fiquei acordada, as pessoas que estavam na rodovia pararam para prestar ajuda, ligaram para o Corpo de Bombeiros e começou uma saga ”, relata ela.


Cavalcante foi encaminhada para o Hospital Municipal de Rolim de Moura onde ficou cinco dias internada. Depois foi transferida para o Hospital Regional, na cidade de Cacoal, que fica a 60 quilômetros de Rolim.


“A minha situação se agravou e o problema não ficou só na perna esquerda. Preciso ir para o Paraná fazer um cirurgia no pulmão que teve complicações e para piorar tenho problema de coração. Fiquei dias na UTI, meu corpo inchou muito. Quando a situação ficou mais estável, voltei para Rondônia ”, relata a manicure.

Ainda segundo dados do DataSus, no período de janeiro a junho dos anos de 2019 e 2020, o índice de acidentes foi maior entre o sexo masculino do que com o feminino.


Fonte: DataSus (Créditos: Maycon Pavin)


O chefe de gabinete explica que as lesões mais comuns dos pacientes levados para o Hospital João Paulo II são fraturas ósseas, o mesmo caso da manicure Lucilene Cavalcante. “São fraturas que precisam de cirurgia urgentemente. Recebemos pacientes de praticamente todo o estado”, comenta Paulo.


O custo total da cirurgia de Cavalcante está em cerca de R$ 40 mil reais. “Já fiz o orçamento com o hospital, já levei os papéis na Defensoria Pública e pretendo conseguir essa cirurgia pelo Estado. Agora aguardo a pandemia passar para que esse processo seja mais rápido ”, conta.


Segundo Marcio Paulo, o número de internações sinalizou um aumento no mês de julho de 2020. “Com o afrouxamento do isolamento social os índices voltaram a subir. Em junho recebemos 276 pacientes, já em julho subiu para 415”, destaca.


Fonte: DataSus (Créditos: Maycon Pavin)


Motociclistas se acidentam mais em Rondônia


De acordo com dados do anuário do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Rondônia, as motos são os veículos que mais se envolvem em acidentes. Os números são de 2019, ano em que 63,77% das motos do Estado se envolveram em acidentes. A frota de veículos no estado é de 1.015.598, sendo 528.262 motocicletas, como apontam os dados.


Segundo o Paulo, o maior número de pacientes atendidos na Unidade são por acidentes de moto. Conforme apontam os dados extraídos do anuário do Detran, no ano de 2018 houve 221 mortes de motociclistas.


Viatura de resgate do Corpo de Bombeiros da cidade de Rolim de Moura, Rondônia. (Créditos: Maycon Pavin)