top of page

A importância da representação LGBTQIA+ na televisão

A homofobia continua sendo um grande problema no Brasil, que busca cada vez mais formas de combatê-lo


Uma imagem retirada da série HeartStopper da Netflix ( Créditos: Beatriz Centeno)


A representação de pessoas LGBTQIA+ na televisão é um tema de grande importância e relevância. A mídia possibilita promover a visibilidade da causa, além de combater o preconceito e a discriminação. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, os registros de homofobia aumentaram em 2022. Foram registradas 488 ocorrências de homofobia ou transfobia, um aumento de 54% em relação a 2021.


Além disso, mais de 2,3 mil pessoas LGBTQIA+ foram agredidas. Esses números alarmantes demonstram que a violência e a discriminação contra a comunidade LGBTQIA+ ainda são uma realidade no país. Ao promover visibilidade e acessibilidade, a representação na televisão contribui para a construção de uma sociedade mais justa, igualitária e respeitosa com todas as pessoas, independentemente da sua orientação sexual.


A psicóloga Kayany Regina Lima diz que a representação positiva e inclusiva dos gays na televisão desempenha um papel fundamental na luta por direitos iguais e na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Sendo assim, a presença de personagens homossexuais em programas de TV ajuda a quebrar estereótipos e a desmistificar preconceitos, mostrando que a orientação sexual não define o caráter ou as habilidades de uma pessoa.


Além disso, essa representação na televisão contribui para a construção de uma identidade positiva e fortalece a autoestima da comunidade LGBTQIA+. Para a psicóloga, “ao verem personagens gays em programas de TV, as pessoas podem se identificar e se sentir representadas, o que é especialmente importante para os jovens que estão se descobrindo”.


A falta de representação pode levar ao sentimento de isolamento e à falta de acessibilidade. Por outro lado, a presença de personagens LGBTQIA+ na televisão pode ajudar a normalizar a diversidade sexual e a promover a tolerância e o respeito. “Para eles, é uma sensação de pertencimento, ver personagens que os representam, isso pode proporcionar conforto e apoio emocional. Especialmente para quem está descobrindo sua identidade de gênero ou orientação sexual”, continua Lima.


A representação LGBTQIA+ deve ser realizada com cuidado, ou pode ter um efeito reverso


É importante ressaltar que a representação LGBTQIA+ na televisão deve ser feita com responsabilidade e sensibilidade. É fundamental evitar estereótipos negativos, que possam promover preconceitos ou causar danos. Em entrevista, a estudante de Jornalismo Isabela Terra diz que, “Quando existe um casal gay em uma cena de novela, por exemplo, no dia seguinte sempre haverá muitas críticas homofóbicas. Isso faz com que seja ainda mais necessário o cuidado ao realizar qualquer representação na televisão”.



Estudante de Jornalismo Isabela Terra (Créditos: Arquivo Pessoal)


A representação deve ser reconhecida, respeitando as experiências e vivências reais das pessoas gays. Nathan Velasque, um jovem homossexual, avalia que ignorar ou marginalizar as experiências LGBTQ+ é um reflexo horrível e distorcido da realidade, o que nega a existência de uma parte significativa da população. Em suma, a representação de todos os gêneros e sexualidades na televisão desempenha um papel crucial na luta por igualdade e inclusão.


Linha do Tempo mostrando o aumento dos casos de homofobia e tranfobia no Brasil (Fonte: Anuário Brasileiro de Segurança Pública)


9 visualizações

header.all-comments


bottom of page