O lugar da opinião no jornalismo


Foto: Print do vídeo

A tendência à supervalorização dos conteúdos opinativos é uma das questões que preocupa jornalistas e pesquisadores da área. Recentemente, 280 jornalistas do Wall Street Journal (Estados Unidos) se posicionaram por uma maior diferenciação entre conteúdos opinativos e informativos no jornal, conforme noticiado pelo Poder 360. O problema pode recair sobre a credibilidade do trabalho jornalístico. É o que aborda a professora Cintia Xavier, do programa de mestrado em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

"Em alguma medida, isso também tem pressionado e tem feito esse debate do que é a livre expressão da opinião e o que seria a expressão da opinião fundamentada e condensada nos jornais. E dentro desse debate todo, inclusive, a gente tem pressão dentro das redes sociais para que determinadas formas de expressão da opinião sejam retiradas. Porque ultrapassariam esse elemento de livre pensamento e passa a ser de maneira ofensiva a determinados grupos ou determinadas situações", disse ela no programa Literacia da Mídia, exibido hoje (12).

Os primeiros jornais que se tem registro não possuíam caráter ou obrigação de produzir notícia. A distinção entre conteúdos informativos e opinativos ocorreu posteriormente, demarcando o surgimento do jornalismo como profissão.

"Nos Estados Unidos se consolidou o que eles chamam de 'muro' entre aquilo que está dentro da redação e aquilo que estaria como oposição ao publisher (proprietário do veículo), em oposição àqueles que são os donos do jornal. Esse modelo de deixar muito bem demarcado, em certa medida, funciona de maneira mais significativa, me parece nos jornais estadunidenses. Porque se a gente for olhar para os jornais europeus, há uma longa tradição de colocar muito bem formatada e fundamentada a opinião", explica ela.

Para Xavier, o que está acontecendo de maneira mais intensiva dentro da discussão da opinião pública nos Estados Unidos, se deve muito à questão da própria polarização e às redes sociais que permitem que cidadães comuns possam manifestar suas opiniões. Por outro lado, segundo ela, é importante reconhecer a importância do jornalismo opinativo como um gênero diferenciado e relevante para a sociedade.

O conteúdo completo da entrevista realizada pelos professores Guilherme Carvalho e Mauri König pode ser conferido no canal Jornalismo Uninter no Youtube.

10 visualizações

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade