Presidente afastado da Fundação Palmares defende o fim do dia da consciência negra

Sérgio de Camargo, presidente afastado da Fundação Palmares voltou a polemizar. O jornalista defende o fim do dia da consciência negra, com o argumento de que a esquerda se apropriou da data para propagar o vitimismo e o ressentimento racial.

A Fundação Palmares que já conta com mais de 31 anos de existência, é uma entidade importante para reforçar a identidade, cidadania, reforçar a memória dos segmentos formadores da sociedade e também valorizar as manifestações culturais populares da população afro brasileira.

Sérgio Camargo foi nomeado presidente da Fundação mas por suas polêmicas declarações, uma ação popular pediu pela suspensão da nomeação do jornalista. Confira a matéria completa produzida pelo estudante Paulo Pessoa.

10 visualizações