Escravidão moderna atinge 40 milhões de pessoas no mundo, aponta OIT


Estima-se que quarenta milhões de trabalhadores no mundo vivem em estado precário de trabalho, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). O fenômeno é definido pelo órgão como “escravidão moderna”, resultante de servidão por dívidas e tráficos de pessoas.

“Coisa ruim que te acontece, você não esquece não”, este é o relato de um trabalhador que viveu em condições análogas à escravidão. A denúncia está no primeiro episódio da série de reportagens em áudio "A Moderna Era da Escravidão", produzida pelo estudante para o programa Uninter Informa.

De acordo com a matéria, o período colonial e imperial no Brasil é caracterizado como a “Era da escravidão”, que durou de 1550 a 1888. Neste período, negros trazidos da África eram submetidos a trabalhos intensos e castigos físicos. Foi a partir da Lei Áurea que a escravidão foi abolida, em maio de 1888. Na prática, contudo, a história foi outra. Confira abaixo o primeiro episódio da série.

Foto: Pixabay

14 visualizações

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade