Manutenção de mandatos daria muitas voltas em torno da Terra


Que tal dar uma volta entorno da Terra? Melhor, dar 1.111 voltas em torno do planeta. Uma loucura, não é mesmo?! Pois todas essas viagens seriam possíveis com o gasto de combustível realizado pelos os deputados e deputadas estaduais do Paraná com o uso cota parlamentar na legislação passada. A apuração do site Livre.jor mostrou que mais de R$ 11 milhões em ressarcimento com combustível foram pagos pela Assembleia Legislativa, ou melhor, pagos pelo contribuinte paranaense.

Agora, o valor total de tudo o que é ressarcido pela cota parlamentar é ainda mais impressionante: uma média de R$ 1.300,00 por dia útil para cada deputado. Se compararmos o salário mínimo regional que manteve a média de R$ 1.300,00 por mês, cada família do Paraná recebeu no mês o mesmo valor que cada parlamentar gastou no DIA útil nesses quatro anos. Todo esse montante nesse período de 4 anos somam R$ 74 milhões ressarcidos para os deputados pela cota parlamentar.

Já na Câmara Federal em Brasília, segundo dados acessados pelo Portal da Transparência, somando o gasto dos parlamentares paranaenses na legislatura passada, chegamos no valor total de R$ 49.454.462,52 utilizados de 2015 até 2018. A média por dia útil ressarcida para eles foi de R$ 1.635,00, bem acima do que foi a média salarial mensal, que, no período foi de R$ 889,75.

Se todo esse montante ressarcido para esses parlamentares fossem investidos na compra de remédios para as unidades básicas de saúde, compra de equipamentos para a segurança pública poderíamos ter uma vida melhor. Mas como diz o refrão de uma música do cantor Bezerra da Silva: “para tirar…meu brasil dessa baderna, para tirar…meu brasil dessa baderna, só quando o morcego doar sangue e o saci cruzar as pernas” (ouça aqui a música).

Essa música irônica com cerca de vinte anos, infelizmente nunca foi tão atual como agora. Como população, devemos fiscalizar e cobrar esses parlamentares mais do que já é feito. Entre isso, é possível pedir que ministérios públicos, tribunais de contas entre outros meios de controle possam ampliar a fiscalização sobre esse uso, que, embora legal, em muitas vezes é imoral essa prática.

Qual é a lógica do parlamentar em receber uma "ajuda de custo" que vale mais do que o seu próprio salário? Por exemplo, uso de combustível, o deslocamento é parte do trabalho e há condições de pagar esses gastos do próprio bolso, pois eles não recebem o salário que a "massa" recebe. E ainda sim, a remuneração de um deputado estadual no Paraná é de R$ 25,3 mil, e a cota parlamentar é de R$ 31,470 mil para ser utilizada no mês. Será que é válido o valor exorbitante que é gasto quando vemos parlamentares com o mesmo salário, cota e benefícios não usando esses valores tão altos como os 3 da bancada federal exemplificada? É necessária uma reação em cadeia da população para mudar essa situação, pois quem está na Assembleia ou na Câmara Federal são servidores públicos e eleitos pelo povo e que merece ter o seu dinheiro bem aplicado, e não nas benesses mantidas pelos próprios parlamentares.

30 visualizações

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade