Somos “Pinóquios” Modernos


(Crédito: Pixabay)

Existiu um tempo, um passado recente, em que mentir era muito fácil e demorava para sermos descobertos. Fingir que estava doente para não ir a aula funcionava. Dizer “não fui eu” às vezes te livrava de uma barra. Para tentar evitar alguém, usar a frase “não posso ir, minha mãe não deixa” podia dar certo, mesmo que você nem pensasse em pedir para sua mãe. “O problema não é você, sou eu” era arriscado, porém bastava usar com alguém emocionalmente abalado e a mágica da mentira acontecia.

Hoje isto está cada vez mais difícil, uma vez que a tecnologia e as redes sociais são a extensão da nossa mente. Tudo é público e a sua mentira também, não dá pra evitar. Se você posta que está se sentindo triste no Facebook, e em seguida no Instagram publica uma foto com um sorriso de orelha a orelha... Opa! Tem algo errado aí. Se você mente para sua namorada que está em casa, e sua amiga posta uma foto do churrasco te marcando, provavelmente você estará solteiro amanhã.

A partir do momento em que você está inserido nisso, as coisas fogem do seu controle. Sempre há uma indireta, um comentário ou uma publicação que de alguma forma te comprometerá. E mesmo assim, as pessoas insistem em mentir. Desde coisas insignificantes até coisas de maiores proporções. Desde, “está tudo bem! ” até “eu não o matei”. Elas não sabem que, seja grande ou pequena, é mentira. E até a Rihanna sabe que você mentiu quando canta “Love the Way You Lie”. O jeito é se acostumar com a ideia.

Texto editado por: Larissa de Oliveira.

Professor-orientador: Jeferson Ferro.

23 visualizações

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade