A coroa sempre esteve em nossas cabeças

06/06/2017

  Foto: Arquivo Pessoal

 

 

Antes de chegar aqui, muito antes de eu ter sido eleita a mulher mais bela de uma das maiores capitais do país, era uma adolescente extremamente insegura. Essa insegurança estava completamente ligada ao meu cabelo. Lembro perfeitamente de quando via na televisão as negras com cabelos lisos e compridos e questionava o porquê de o meu não ficar igual. Lembro também das vezes em que amarrei uma toalha na cabeça pra fingir que meu cabelo era longo ou de quando preferia sentar no fundo da sala na escola pra não ficar tanto em evidência e dos dias que simplesmente não ia pro colégio porque meu cabelo não ficava "bom".

 

Se você não passou pelo que passei, talvez pense que é exagero meu, mas não ver mulheres crespas quando eu era mais nova me fez construir a ideia de que eu nunca seria bonita por que meu cabelo tinha uma textura diferente, era o chamado “cabelo difícil”. Esse é mais um dos tantos padrões que nos são impostos. Com o passar dos anos, já cansada dos alisamentos que nunca me deixaram satisfeita e muito menos que faziam me sentir bela, decidi parar de alisar. Foi uma decisão difícil, mas, depois de tudo, me olhei no espelho e me vi bonita por completo pela primeira vez.

 

Lembro perfeitamente da primeira vez que vi uma mulher negra com um 4C igual ao meu em um comercial de televisão e da alegria que senti, isso foi no ano passado. Hoje quando ia para o trabalho vi uma mulher de black na rua. Nos olhamos e não precisou mais de 3 segundos para sorrimos uma para a outra. Não nos conhecíamos, mas sabíamos que passamos pelas mesmas lutas e foi como se aqueles sorrisos tivessem transferido um pouquinho de força para cada uma de nós. A alegria que sinto de carregar o título de Miss Curitiba Universo 2017 é enorme, não por ser um título e sim pelo significado que ele tem. Eu sei que ter o título de mulher mais bonita dessa cidade, sendo simplesmente quem sou, é um grande avanço pra todas nós que por tantos anos tivemos que enterrar nossa raízes para, de alguma forma, sermos aceitas e ocuparmos determinados espaços.

 

Dia 20 desse mês estarei no Miss Paraná concorrendo com outras 29 candidatas ao título estadual. Não estarei sozinha lá. Carrego comigo cada uma das meninas que estão se inspirando em mim, cada preta que me mandou mensagem até hoje dizendo que depois de mim também vai tentar, também vai assumir o cabelo natural, também vai participar de concurso de MISS!

 

O nosso cabelo também é lindo e vou continuar usando o meu pra cima, por que em cima dessa coroa tem lugar pra mais outra coroa! Eu venci por estar confiante, preparada, e por me sentir bonita da forma que sou. Aceitar as diferenças é importante, representatividade importa e aos que dizem que não sou bonita ou que preciso alisar meu cabelo... não, eu não preciso! Estou ótima dessa forma. Chegamos até aqui e não foi por pouco. A luta continua.


#PretaVoceÉlinda #MaisAmor #CuritibaPreta #MissCuritiba#MissParana#Conqusitas #Ouça-me #ARevoluçãoSeráCrespa
Não posso deixar de agradecer mais uma vez aqueles que estão me apoiando.
Em especial, Luciana Tavares , Dandara Arruda e Tássia Reis pelos conselhos.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Radioweb Uninter
00:00 / 00:00

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade