Novas mídias e Assessoria de Imprensa: uma parceria possível

Foto: Daniela Neves

Os novos formatos do mercado de comunicação, que tanto influenciam o Jornalismo, não estão mais restritos aos profissionais que atuam em redações. Mesmo com a propagação da internet, grande parte dos veículos tradicionais - entenda-se rádio, televisão e impresso - se apropriaram das redes sociais, sites e blogs para não perder a conectividade com o público. Mas e a Assessoria de Imprensa, como se porta diante dessas mudanças? Impossível não pensar nisso. Assim como os repórteres, entre outros profissionais, que cumprem seu papel em levar notícia relevante para a sociedade, o assessor de imprensa também tem uma missão singular nessa tarefa.

Embora seja fácil pensar que esse aspecto do Jornalismo visa apenas “vender” a imagem positiva do assessorado, os conceitos básicos e éticos da profissão podem e devem fazer parte da rotina desse profissional. Entre elas a relevância social da notícia. A grande questão é entender como a inserção desse tipo de conteúdo em canais como youtube, onde a pluralização tem um campo fértil, acontece.

Será que é uma boa estratégia para uma Assessoria de Imprensa considerar esse modelo de mídia ao enviar sugestões de pauta? A Assessora de Imprensa da Volvo, Milena Miziara avalia que o youtuber, mesmo não sendo jornalista, deve fazer parte do mailing de todo profissional, principalmente em tempos de conteúdo segmentado.

Não à toa tomamos como exemplo a maior indústria de transporte do Brasil. Alunos do sétimo período de Jornalismo da Uninter visitaram a empresa sueca para conhecer os processos que envolvem o setor de Comunicação com ênfase na Assessoria de Imprensa. Durante a apresentação, os alunos puderam assimilar a teoria ministrada pelos professores Guilherme Carvalho e Daniela Neves em sala de aula.

Como a discussão sobre as novas mídias e formas de fazer Jornalismo são uma constante no curso de graduação é extremamente importante entender a dinâmica real do mercado de trabalho. Milena evidenciou a preocupação do departamento com formadores de opinião na internet, os famosos youtubers, principalmente quando se trata de fração de conteúdo. Um dos canais pautado com frequência pela Volvo é o Planeta Caminhão, com quase 60 mil inscritos. Parece pouco? Mas se pensarmos que se restringe a um tema exclusivo para o público caminhoneiro, essa avaliação muda.No ano passado, em apenas um vídeo, mais de 1 milhão de pessoas visualizaram uma produção sugerida pela Volvo. Para Milena, embora a relação entre os jornalistas e os youtubers não funcione da mesma forma, um bom profissional não pode deixar de pensar nesses canais como estratégia no campo do assessoramento.

O ponto chave do encontro foi a percepção por parte dos alunos pelo compromisso do setor de comunicação da Volvo em relação a escolha de pautas e os critérios de noticiabilidade. “A preocupação com a ponta do processo, o repórter, para que o material realmente possa render conteúdo jornalístico com interesse social mostra o profissionalismo da equipe da Volvo com os preceitos jornalísticos”, avalia Carlos Martinez, aluno do curso no período da noite. Apesar de estar subentendido que o profissional é o porta-voz apenas de fatos positivos sobre o seu assessorado, as grandes empresas não estão imunes aos conflitos de mercado. É aí que entra a gestão de crise. Ela precisa estar bem alinhada entre a diretoria e a comunicação das corporações para que a marca possa atuar com assertividade e foco, sem comprometer a credibilidade da empresa.

Questionada, Milena comenta que essa demanda não é expressiva na Volvo, mas informa que o departamento toma as decisões com base na gravidade de cada caso. A assessora reforça a necessidade de cautela pelo profissional em relação ao momento certo de entrar em ação - com notas oficiais ou coletivas de imprensa. Isso evita o desgaste da marca e garante mais confiabilidade na mensagem. O setor, que levou tempo até estar consolidado no ambiente corporativo, amadureceu e hoje é visto como um segmento importante na estratégia da empresa.