• Equipe Mediação

Peça de rua usa o humor para abordar a luta contra o suicídio

Levar o público à reflexão sobre o valor da vida foi o objetivo da peça Acorda, Serafim!!, apresentada na praça Santos Andrade nesta tarde de quarta-feira (27). O espetáculo é uma das atrações do Festival de Teatro de Curitiba. Quem compareceu para assistir a apresentação, conheceu a história de Serafim. Um ator de longa carreira nos palcos, que vê sua fama acabar com o passar do tempo. Abatido e solitário, decide dar fim a sua vida, quando descobre que está perto de perder totalmente a visão.



Já desacreditado de tudo e pronto para o ato final que o levaria à morte, é interrompido pela menina Esperança, uma jovem atriz que procurava por um ator experiente para a sua peça de formatura. Envolvido com os ensaios da humilde peça, Serafim começa a perceber que muitos pontos do texto refletiam diretamente na sua vida. Solidão, ausência da escuta, o frente a frente com suas memórias, o verdadeiro valor e as possibilidades da vida. Todas essas coisas o fazem mudar de idéia, levando-o à valorizar a vida que tem.


Para Aline Chella, atriz do espetáculo, a apresentação busca a reflexão de todos, mas se apenas uma pessoa for atingida com a mensagem, principalmente a que se encontra em condições semelhantes a de Serafim, o objetivo será concluído. Solidariedade, ouvir o próximo, ficar junto e valorizar a vida, são as definições dadas por ela à peça.




Segundo Edmund Cezar, diretor e ator do espetáculo, falar sobre esse tema foi uma iniciativa conjunta. Depois de muito estudo e preparação, buscaram apresentar a temática de uma forma suave e com o uso do humor. Para o artista, falar sobre o assunto não é uma coisa simples, já que o objetivo de quem toma essa decisão, é de acabar com a dor, mas não de morrer. Ele também explica que as críticas, exclusão, falta de afeto, entre outras coisas, são etapas que o indivíduo passa e que podem levá-lo a cometer o ato.




Acorda Serafim!! tem duração de 30 minutos. Inspirado no teatro móvel de Cornélio Pires, a apresentação é realizada em um palco construído sobre uma carretinha. Sempre próximo à platéia, os atores buscam se conectar os os espectadores, tornando a peça um ótimo atrativo.


Textos e fotos: Jhonatan Giovanini e Ivone Souza

0 visualização
Please reload

A tradição da profissão de luthieria

10/07/2020

1/1
Please reload

Radioweb Uninter
00:00 / 00:00
chamada.jpg
banner_site_.jpg
eFlyer V Semi (Final).png

Este site foi criado em 2017 pelo curso de Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário Internacional.

A reprodução integral ou de parte do conteúdo é permitida desde que citada a fonte, incluindo o nome do autor e do site.

Política de privacidade